|

Romeo Bet avalia 2021, Alfa, Aurora e o AGRO Destaque

By Dezembro 09, 2021 168 0

Nessa boa e leve conversa, com o Presidente da Alfa, Romeo Bet, percebe-se o quanto a cooperativa está veloz e isso não é diferente com o universo AGRO. “Um ano intenso, de decisões imponentes, muito trabalho e isso não foi diferente com cada associado ou funcionário”, reconhece o líder. Bet também é secretário do Conselho de Administração da Aurora Alimentos e a entrevista foi realizada pelo jornalista Julmir Ceccon.

 

Julmir: seu Bet, como presidente da Cooperalfa, como o senhor se sente, ao fechar 2021?

Bet: apesar da pandemia e da insegurança política e econômica, os resultados são bons; todos estamos de parabéns. Os sócios podem se contar felizes pois a cooperativa está avançando. Um ano puxadíssimo devido aos grandes negócios que estão sendo feitos. Porém, é dessa forma que nos manteremos sólidos. Vamos todos comemorar e vibrar, apesar, pois, graças a Deus o COVID-19 está ficando para trás.

 

Julmir: grãos e custos de produção, qual sua perspectiva?

Bet: em relação ao trigo, safra boa; um pouco de percalços climáticos, nada grave.  Milho e soja, produtores aplicaram alto em tecnologias e, até o momento, tempo correndo bem. É cedo para prognósticos. Lógico, os custos de implantação da próxima safra já estão nas nuvens. Quem dá as cartas é quem tem o produto. Há certa tendência de alguma queda nos preços dos grãos.

 

Julmir: e o câmbio, arrisca um cenário?

Bet: teremos um ano político em 2022 e isso afeta a economia, independente de quem sejam os candidatos. Será que o dólar estabiliza ou sobe? É complicado antever. Se a serenidade da campanha se cristalizar, vai ajudar nesse equilíbrio. Na verdade, não se tem muita certeza de nada. Ficarmos atentos é o caminho. O produtor, também.

 

Julmir:... e o maior projeto da história da Alfa nesses 54 anos, a indústria de processamento de soja da Tomazelli? Como foram os bastidores dessa negociação?

Bet: numa cooperativa, deve-se ter transparência em tudo. Essa nova fábrica, de R$ 300 milhões, vinha sendo debatida pelo conselho e internamente. No início e 2020 decidiu-se dar início à construção. E vieram perguntas: que tipo de fábrica? Que parceiros? Em março iniciamos os contatos para comprarmos o ´coração´ da fábrica (extração), e decidimos que seria com apenas uma empresa, apesar de termos quatro propostas sobre a mesa. Escolhemos a TECNAL pela capacidade de instalação, responsabilidade, inovação e preço ajustado. Ao todo, são 30 empresas periféricas atuando na obra. Se começássemos hoje as contratações, certamente iria custar acima de R$ 500 milhões, ou seja, o associado economizou R$ 200 milhões, de forma indireta, sem prejudicarmos a qualidade do projeto, nem o cronograma de execução.

 

Julmir: a diretoria está satisfeita com a presença da Alfa no Mato Grosso do Sul?

Bet: sim, estamos, apesar de termos começado com estruturas acanhadas, aos poucos fomos comprando e ampliando. Pela estrutura atual e pela característica do produtor do Brasil Central, contamo-nos felizes. Lá, é comum agricultores com 10 a 15 mil hectares de lavoura, sendo auto suficientes em comprar insumos diretamente das indústrias e nas exportações. Contudo, com o empenho de nossas excelentes equipes, os resultados positivos estão surgindo. Muito ainda teremos para avançar.

 

Julmir: e a UPL em Sidrolândia?

Bet: a parte estrutural está contratada e as obras, iniciando. O projeto permitirá que cresçamos na região. Estamos no caminho certo. O projeto da UPL é para 10 mil matrizes. Até 2023, vamos executar apenas 5 mil. O mercado de carnes ajudará a clarear esses investimentos. Por ora, vamos atender a necessidade da Aurora COOP de São Gabriel do Oeste que abate hoje 3 mil suínos/dia e, no início de 2025, abaterá 5 mil/suínos/dia.

 

Julmir: que avaliação o senhor faz com a chegada ao RS, desde 2017?

Bet: está de satisfatório para bom. O Alto Uruguai está se consolidando. Com a compra, pela Aurora, do Frigorífico AGRODANIELI de Tapejara, ampliamos nossa participação societária na Central. As filiais de Estação e Tapejara aumentam o movimento financeiro. Com a aquisição em 08 de novembro de 2021 das estruturas da Comércio de Cereais JRB LTDA e JRBD Transportes Ltda, (Barbiero Agronegócios), com sede em Nonoai-RS, vamos expandir naquela mesorregião também, um negócio feito de forma leal e transparente.

 

Julmir: proteínas como o leite, suínos e aves, preocupam o senhor?

Bet: sim, de momento, o setor está em queda. Alguma melhora no frango, apenas. O mercado interno não absorve toda a produção, pois caiu a renda média da população e o externo está complicado por conta da China que, continua comprando, mas a preços muito baixos e isso afeta o resultado da indústria. Além disso, os custos de produção das carnes estão em alta. Vamos torcer que essa situação amenize em 2022.

 

Julmir: a Aurora para o futuro, o que pode ser destacado?

Bet: está bastante sólida e em crescimento. Isso vai continuar. A Aurora está ampliando o parque para abate de frangos em Chapecó, na antiga BONDIO, passando de 120 mil frangos dia, para 400 mil/dia em 2024. Ainda está edificando uma indústria de empanados. Contudo, as plantas da nossa região parecem estar no limite. Se houver necessidade, investir em outros estados não está descartado. É preciso avançar, garimpando novos mercados e novos produtos. Um fator que determina investimentos são os estudos ligados à logística.

 

Julmir: o que é SUCESSO, numa cooperativa?

Bet: vem-se à mente a profissionalização do sistema cooperativo e a transparência.   A seriedade com o sistema gerido, é fator preponderante. É fundamental, para uma região, o associativismo sólido, a exemplo da Aurora, que dá suporte. Bom registrar que o associado evolui muito.

 

Julmir: aos 77, o que é significa a vida para o senhor?

Bet: é tudo!! É trabalho, é ser exemplo, ser participativo na sociedade. Meu legado creio ser a simplicidade, a humildade e forma clara com que se conduz a gestão. Vida é família, é estar perto de quem a gente mais gosta.

 

Julmir: um ponto que marcou sua caminhada na Alfa até o momento?

Bet: foram dois; quando cheguei, há 41 anos e tive que decidir entre voltar pra casa e prosseguir, na época como gerente de produção, nos armazéns, um pedido de Aury Bodanese (in memóriam). Outro: quando assumi a presidência, em 2009. Havia comentários, aqui e acolá, de que eu, talvez, não desse conta do recado.  Como seria Bet, presidente, sendo agricultor? De lá pra cá, foi muito empenho e lealdade. Estou feliz.

 

Julmir: que natal o senhor deseja?

Bet: que tenhamos muita saúde e paz, que consigamos nos manter todos unidos; que Deus abençoe a cada um e que possamos prosseguir em 2022, firmes e fortes, nos ajudando, sempre!! Feliz Natal e um Ano Novo cheio de luz.

Informações e foto Ascom

Avalie este item
(0 votos)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

© 2020 Rádio Clube São Domingos-SC. Todos os Direitos Reservados.