|
Saúde

Saúde (181)

A chegada a Santa Catarina por volta das 02h25 da madrugada deste domingo (31), renova a esperança de 11 pacientes de Manaus que vão continuar o tratamento da Covid-19 no Estado. Depois de cinco horas de voo, o jato executivo da Força Aérea Brasileira (FAB) pousou em Florianópolis. E, no pátio da Base Aérea, teve início a operação de transporte dos pacientes para os hospitais Nereu Ramos e Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago, na Capital.

O esquema global de compartilhamento de vacinas Covax planeja enviar vacinas contra a covid-19 suficientes para cobrir cerca de 3% das populações de países de baixa renda na primeira metade do ano, disse hoje (29), em Jacarta, uma autoridade da Organização Mundial da Saúde (OMS).

O governo federal divulgou nesta quinta-feira (28) o plano que estabelece a ordem de vacinação contra a covid-19 para os grupos prioritários. A seleção das populações com prioridade foi elaborada pelo Ministério da Saúde e, de acordo com a pasta, foi baseada em princípios da Organização Mundial da Saúde (OMS) e feita em acordo com entidades como o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). Ao todo, são 27 categorias prioritárias pessoas, que incluem, por exemplo pessoas acima de 60 anos, trabalhadores da saúde, indígenas, pessoas em situação de rua, entre outras (veja lista completa a seguir). Trabalhadores do transporte coletivo, da educação básica e superior, forças de segurança também estão na lista.  

Mais de 80 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 já foram aplicadas em todo o mundo, aponta levantamento desta terça-feira (26) do projeto "Our World in Data", ligado à Universidade de Oxford.

A Justiça Federal do Amazonas suspendeu a distribuição, em Manaus, da vacina contra covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford, em parceria com a farmacêutica AstraZeneca. A suspensão deve vigorar até que a prefeitura formule um plano de vacinação nos moldes do elaborado pelo Ministério da Saúde a nível nacional.

Sob a ameaça de uma eventual greve dos caminhoneiros, o governo incluiu a categoria na lista do grupo de prioridades para o recebimento das vacinas contra Covid-19 no país, conforme atualização do plano nacional de imunização enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF).

O início da vacinação no Brasil e em outros países não significa que as pessoas devem retomar uma rotina semelhante à de antes da pandemia. A própria Organização Mundial da Saúde (OMS) já indicou que a imunização de rebanho pela vacinação não deverá ser atingida em 2021. A declaração foi feita este mês pela dra. Soumya Swaminathan, da OMS.

Uma pesquisa da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), desenvolvida no Hospital Universitário da unidade, coordenada pelo médico Edison Natal Fedrizzi, mostrou que o imunizante tríplice viral, utilizado para proteger o organismo contra a caxumba, sarampo e rubéola, que é oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) desde 1992, diminui 54% os sintomas do coronavírus. Além disso, é apresentado que ocorreu uma diminuição de 74% em internamentos hospitalares entre as pessoas que foram vacinadas.

Com início em julho de 2020, os cientistas realizaram análises estatísticas com os dados coletados até a segunda semana de janeiro deste ano. A pesquisa recebeu apoio do Bio-Manguinhos, da FioCruz, a Fapesc (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina), a (SES) Secretaria Estadual de Saúde e a Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis.

O intuito da pesquisa é determinar a eficácia da diminuição da gravidade da covid-19 em profissionais de saúde que receberam a tríplice viral. A pesquisa possui 430 voluntários, entre homens e mulheres de 18 a 60 anos, que são mensalmente avaliados e examinados para a doença.

O estudo mostra que as pessoas que se vacinaram com o imunizante não se curaram da covid-19, portanto, apenas ficaram com menos sintomas da doença. Contudo, os pesquisadores afirmam que a tríplice viral não substitui as vacinas desenvolvidas especificamente contra o coronavírus. 

Vale ressaltar que estes resultados são preliminares. De acordo com os pesquisadores, “os resultados são bastante animadores pois trata-se de uma vacina não específica para o novo coronavírus que mostrou resultados de eficácia semelhante a algumas vacinas específicas divulgadas recentemente”.

 

Informações: UFSC - Foto: Bio-Manguinhos/Fiocruz

O secretário André Motta Ribeiro traçou um panorama da pandemia e explicou sobre o plano de vacinação em Santa Catarina durante reunião da diretoria da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc). O secretário participou por videoconferência do encontro realizado na tarde desta quinta-feira, 21.

Após a aprovação pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) das vacinas da Fiocruz e do Instituto Butantan contra a covid-19 para uso emergencial em todo o território brasileiro, o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) com apoio do Ministério da Saúde, lança hoje o programa ImunizaSUS, que vai transformar as unidades Básicas de Saúde (UBSs) em salas de aula.

© 2020 Rádio Clube São Domingos-SC. Todos os Direitos Reservados.